Últimas

05/10/2021

"Estou a liderar o maior clube do Mundo, e acima de tudo, o meu clube"

Atual presidente fez balanço da época e deixa promessas para o futuro, caso seja eleito no próximo sábado.

Rui Costa, presidente e candidato às eleições do Benfica, concedeu, esta segunda-feira, uma entrevista à BTV na qual fez um balanço deste curto período à frente das águias e onde deixou várias promessas para o futuro. Em contagem decrescente para as eleições do próximo sábado, Rui Costa deixou a mensagem de que o Benfica tem de ser um clube ambicioso em todas as modalidades. 

Lema da campanha eleitoral: "Acima de tudo, querer trabalhar em conjunto com a minha equipa. Queremos corresponder às necessidades dos nossos sócios e dos nossos adeptos. É um trabalho em conjunto e não individual." 

Renovação da lista para os órgãos sociais: "Essa renovação está relacionada com aquilo que são homens da minha confiança. Entraram três pessoas novas e mantiveram-se outras três que já vinham de outros atos eleitorais. Ao mesmo tempo, três deles tinham entrado em outubro. É uma equipa de trabalho que me dá total garantia daquilo que são as minhas ideias para o Benfica. São da minha total confiança. Preciso de homens da minha confiança. Estou convencido de que construí uma equipa que me dá as garantias que eu preciso. Estou satisfeito e confiante de que esta lista me irá ajudar e apoiar. A minha única preocupação são os interesses do clube." 

Limitação de mandatos: "O Benfica irá entrar na revisão de estatutos e estou de acordo com isso. A última revisão foi em 2010 e tem de ser avaliada. Tem de ir ao encontro dos interesses dos nossos adeptos. Acho que há a necessidade da limitação de mandatos. A revisão dos estatutos será feita. Não será logo no dia 10, mas é um documento no qual quero pegar e até criar uma comissão. Direi que três mandatos de quatro anos será suficiente para ambas as partes."

Benfica SAD: "A SAD tem mandato até 2024. A direção e a SAD tem que andar em paralelo e não faz sentido andar com as datas trocadas. Juntamente com a minha direção, irei as datas para essa mesma administração." 

Domingos Soares de Oliveira: "Muito se tem falado de Domingos Soares de Oliveira e da relação que tenho com ele. É verdade que há coisas que têm de ser alteradas. Há coisas no Benfica que há coisas que têm que melhorar, mas também é verdade que há muita coisa bem feita no clube. Se olharmos para a SAD, não se pode por tudo no mesmo saco. Estamos a falar de uma pessoa que contribui e muito para que o clube nos últimos sete anos, tirando este último, tivesse sempre resultados bastante positivos. Mesmo no último, o resultado negativo foi a reboque de um ano de pandemia, sem público e sem Liga dos Campeões. Se depender de mim, continuarei a contar com Domingos Soares de Oliveira." 

Responsabilidade no desfecho de Luís Filipe Vieira no clube: "Eu assumirei sempre as minhas responsabilidades, mas não posso assumir a responsabilidade de coisas que eu não tenho responsabilidade. Deixem-me dar uma nota de que ninguém foi acusado de nada. Até hoje o meu nome nunca não foi tido nem achado. Nunca vou fugir às minhas responsabilidades, mas não posso assumir as responsabilidades que não têm nada a ver comigo." 

Mais processos?: "Eu temo que estes processos em que estamos envolvidos se alonguem mais tempo.  Se for eleito presidente, não pretendo que o Benfica não tenha processos desta ordem sob minha gestão. Tudo irei fazer para que o Benfica não seja incluído no género. Os órgãos sociais e a SAD valem para o clube como um árbitro vale para o jogo. Só se fala do árbitro quando o jogo corre mal. Não entraria num projeto em que pudesse prejudicar o clube. Não me passa pela cabeça ter mais processos daqui para a frente. Há que resolver o que está em curso. Não mais do que esses."

Auditorias: "Já está a ser feita um auditoria forense a todos os processos em curso e teremos respostas no final de outubro. Todas as que tiverem de ser feitas, serão feitas. Todas as empresas deste clube são auditadas por empresas importantes no setor. Não é pela ausência de auditorias que o Benfica vai ter problemas."

Posição maioritária do clube na SAD: "Isso é uma premissa, a não ser que os sócios peçam outra coisa. A SAD é do clube e o clube é dos sócios. Isso está garantido."

Interesse de John Textor: "Admito conversar com todos os investidores que possam aparecer para investir no clube. É obrigação nossa até. Ouvir o que têm para dizer e, sobretudo, trazer para o Benfica. Há várias formas de trazer investidores sem perder o domínio na SAD. Não posso pensar em não ouvir em potenciais investidores. Devo perceber que é vantajoso ou não para o clube."

Direito de preferência sobre ações de Vieira: "Se comprava hoje as ações de Vieira, não. Não traz vantagens para o clube."

Estrutura: "Não vou esconder que a minha área principal é a parte desportiva. A estrutura que tenho para o futebol dá-me garantias de poder fazer um bom trabalho. Esse bom trabalho foi feito desde o dia que peguei até ontem, em que acabámos por falhar frente ao Portimonense. Permitiu-me organizar a casa como eu queria. Dentro das limitações, fizemos um bom trabalho. As ideias que passei foram correspondidas imediatamente."

Jorge Jesus: "É o treinador de todos os benfiquistas. Isso não está em causa. Não conquistámos nada, mas fizemos um início de época com a pujança que se pretendia. Entrada na Liga dos Campeões, sete boas jornadas. Estamos numa fase bastante positiva e Jesus faz parte deste projeto." 

Mexidas em janeiro no plantel?: "Em janeiro iremos ver se fazemos alguma mexida. Não sou adepto de grandes mexidas em janeiro. Quando se fazem grandes mexidas em janeiro é sinal que as coisas não estão bem. Ainda assim, pode haver um retoque ou outro. Esperemos sempre que haja poucas mexidas em janeiro."

Objetivos: "É evidente que queremos liderar o desporto nacional. Somos o maior e melhor clube do país e temos que liderar as competições de futebol e modalidades. Estar a dizer que vamos ganhar quatro ou três campeonatos no mandato parece absurdo porque a ideia é sempre ganhar. Não falo de campeonato, mas das mais diversas competições. Nós hoje estamos bem encaminhados na Liga dos Campeões, iniciámos muito bem o campeonato e tivemos um empate em Kiev que soube a pouco e temos esta derrota com o Portimonense. Mas nesta mesma semana tivemos uma vitória internacional, como foi contra o Barcelona. Essa é a dimensão que eu quero, mas não vou dizer que vamos ganhar três Ligas dos Campeões. Sei o quanto é difícil chegar a uma final da Liga dos Campeões. Basta olhar para os colossos mundiais que ainda não conseguiram. Quero que a nossa equipa tenha este comportamento. Quero que consigam jogar olhos nos olhos com toda a gente. Por outro lado, perdemos com o Portimonense, mas com os nossos adeptos frustrados, mas, ao mesmo tempo, conscientes de que a equipa lutou para ganhar o jogo. Este é o Benfica que nós queremos. Um Benfica ganhador, mas que para perder que seja desta maneira. Esse é o perfil que eu quero para as nossas equipas." 

Ambição europeia: "Temos obrigação, pela dimensão e história do clube, de não nos envergonharmos pela nossa prestação. Temos que deixar tudo dentro de campo contra equipas que teoricamente são superiores. Esse problema não é do Benfica, é do futebol português, que não tem a mesma dimensão das cinco principais Ligas europeias, que potenciam e têm os melhores jogadores do Mundo. Temos efetivamente que ter equipas regulares nestas competições. Prometo que a nossa equipa vai lutar com toda a gente e ter ambição."

Aposta na formação: "Temos jogadores da formação espalhados pelas melhores equipas, candidatas a ganhar a Liga dos Campeões. Vender ou ficar com eles não depende só do Benfica. Depende do próprio jogador Há clubes que oferecem condições que não conseguimos. Perdemos muitos jogadores assim. O modelo do futebol português passa por vender. As pessoas muitas vezes não compreendem. É impossível quase competir com equipas cujo teto salarial é cinco vezes superior ao português. Como é que aproveitamos o nosso talento? Não fechar nunca a porta de entrada da equipa principal aos nossos jovens."

Jovens no plantel principal: "A porta está aberta, mas os jovens têm que fazer para lá chegar. Temos que ser pacientes com o crescimento deles dentro do plantel principal. Deve ser atribuída essa responsabilidade ao jogador e ao empresário. O jogador não pode ser vendido se fizer parte dos planos futuros do clube. Quando promovemos um jovem à equipa principal, temos a ambição de vê-lo afirmar-se na equipa principal. O plantel terá sempre jogadores da formação, independentemente do treinador. Há treinadores que apostam mais cedo, outros que apostam mais tarde, mas haverá sempre espaço na equipa principal, como podemos ver este ano novamente. Diogo Gonçalves, o Morato que conta muito no plantel, o Gonçalo [Ramos] começou a época como titular." 

Liga portuguesa pouco atrativa: "Não há duvidas nisso. Ao longo de muitos anos, perdi muitos jogadores que nos podiam acrescentar enorme valor. Uns chegaram a dizer: 'Para o Benfica vou, mas para a Liga portuguesa não'. Nós temos que, em todos os sentidos, ser mais céleres na busca de alguns jovens, ser mais seletivos na contratação, ser cada vez maiores na Europa para sermos mais atrativos. Há jogadores que não vêm para o Benfica porque não querem jogar na Liga Portuguesa."

Sistema tático universal no Benfica: "Pretende-se que os jogadores tenham inteligência para se adaptarem a qualquer sistema. Devem ter cultura de jogo, cultura do Benfica. Para mim, o modelo de jogador à Benfica é ser um grande jogador. O Álvaro era um jogador à Benfica, o Nené não era, o Luisão era um jogador à Benfica, o Aimar não era? Os jogadores não podem ficar agarrados a um sistema só."

15 anos do Seixal: "Está bem à vista o trabalho desenvolvido. Quando se fala do Benfica Campus, associa-se à formação, mas é ali treina a equipa principal. As condições proporcionadas, posso garantir que não se encontram em muitos lados. Os atletas podem fazer um trabalho de excelência, assim como preparadores, técnicos, analistas. Para dar tudo ao domingo, como se costuma dizer. O Benfica Campus é uma pérola do clube."

Aposta no futebol feminino: "Em pouco tempo, criámos uma equipa de futebol feminino, conquistou o campeonato e na primeira oportunidade de entrar na Champions, entrámos. O projeto só tem um caminho: ser melhorado. A breve tempo não haverá equipas a jogar Champions sem ter futebol feminino. Estamos a construir a base e, da minha parte, há todo o interesse em alimentar este projeto de forma a ocuparmos uma posição de grande destaque, nacional e europeia. Quero alertar que estamos a anos-luz de alguns países e com orçamentos díspares. O crescimento tem ser gradual, sustentado em resultados, sustentado nos adeptos em patrocinadores para elevar o nível. É um projeto de grande futuro no Benfica. Já iniciámos o setor da formação feminina. Não há ainda uma escola, em Portugal, para isso e tivemos que fazer tudo de raiz. Vai demorar tempo, mas o trabalho está a ser bem desenvolvido. Temos uma equipa que nos dá garantias para o futuro. Temos jogadores jovens de grande talento."

Plano para infraestruturas do estádio: "Há um núcleo de infraestruturas que queria desenvolver, melhorar e ajustar. Mas vamos partir de um princípio bem claro. Em nenhum destas obras, que podem custar muito, posso abdicar de ter as equipas de futebol e de modalidades fortes. Não vou tirar competitividade às equipas para fazer obras exteriores. Temos que nos modernizar. O novo centro de estágio é uma necessidade. Temos de ser ambiciosos, mas hoje, para além das equipas de futebol, masculinas e femininas, temos pouco espaço, mesmo no Seixal. Já conversei com as jogadoras sobre isso. Não há possibilidade de dar condições às equipas femininas para estarem só no Seixal. Somos o único clube que compete em cinco modalidades, ao contrário dos nossos principais rivais. Com dois pavilhões, isto é quase impossível dar boas condições de trabalho a estes atletas. Obriga a que estejamos espalhados por Lisboa, a alugar pavilhões e a trabalhar em casas que não são nossas. Quero mudar isso. Se queremos ser ambiciosos, temos que dar condições para isso. Ecrãs, iluminação, cadeiras... Sempre tive para mim que o nosso estádio é mais emblemático por dentro do que é por fora. Não estou a pensar numa parceria, mas pode ser uma via. Queria meter este estádio tão imponente por fora como é por dentro."

10 títulos nas modalidades por ano: "É uma meta ambiciosa. Não se conquista nada sendo pavão. Temos que ser ambiciosos. Se olhar para as modalidades, em Portugal há duas muito fortes em termos europeus: hóquei e futsal. Se estamos nesse campo, as nossas equipas têm que ser fortes para lutar por essas competições. Já fomos campeões europeus de hóquei em patins e de futsal. Não falo só de futebol, falo das modalidades também, assim como na Youth League. Somos obrigados a ter essa ambição. Temos um potencial enorme. Não podemos entrar em competições, como benfiquista, só para participar."

Regresso do ciclismo: "Sim, agrada-me ouvir pessoas a pedir ciclismo. Vai ao encontro da raiz popular do clube. Faz parte do nosso historial. Estou dependente de arranjar um patrocinador para avançar, desde que sinta a confiança de que é possível lutar por troféus. Até lá, vou esperar por um patrocinador, com a esperança de vir a ganhar as Voltas."

Casa do Sócio: "O sócio tem sempre alguma coisa para resolver e para perguntar. Quando um sócio tiver uma reclamação para nos apresentar, uma sugestão ou ideia, queria que tivesse um espaço nobre para ser recebido. O clube é deles. A ideia de criar a Casa do Sócio é essa. Esta é a vossa casa porque haverá sempre alguém para os ouvir seja lá o que for."

Significado em ser presidente: "[pausa] Acima de tudo duas coisas: Um orgulho enorme. Entrei para o Benfica ainda não tinha nove anos. Percorri os escalões todos, fui e voltei, acabei a carreira aqui, estive estes anos como dirigente... Fui apanha bolas, sou adepto. É um orgulho enorme e, ao mesmo tempo, uma responsabilidade tremenda, que tenho que aceitar e encarar de frente. Estou a liderar o maior clube do Mundo, e acima de tudo, o meu clube. Esses são os dois sentimentos mais fortes no caso de ser eleito. Vivi sempre este clube com uma intensidade muito grande, mesmo quando estive fora. Não sei se sonhei com este dia, mas sei que quero o melhor para este clube. Estou pronto para dar tudo de mim, em prol da vontade de todos nós, que é ver o Benfica num patamar acima de todos os outros."


 

Post Top Ad

Blossom Themes