Últimas

15/09/2021

O 'anjo da guarda' vestiu o 99. As notas do Dínamo Kiev-Benfica

Benfica dominou grande parte do encontro, mas passou por enormes sustos já perto do final do encontro. O empate foi o resultado final em Kiev.

Foi preciso sofrer a bom sofrer para sair de Kiev com um ponto. Apesar de ter dominado grande parte da partida na Ucrânia, o Benfica deixou a Europa de leste com um empate (0-0), mas bem podia ter saído sem qualquer ponto na estreia nesta edição da Liga dos Campeões.

Após um final de jogo impróprio para cardíacos, ao Benfica valeu Odysseas Vlachodimos e o VAR.

A equipa de Jorge Jesus, como já dissemos, foi dominadora, teve quase 70 por cento de posse de bola, foi mais rematadora, fez o dobro dos passes do adversário, mas ainda assim as melhores oportunidades pertenceram à formação da casa.

Um empate agridoce para o Benfica, que confirma um registo positivo. É que já lá vão 10 jogos esta temporada e a equipa da Luz está invicta. Este foi o segundo empate da época. Vamos agora a alguns destaques da partida.

Figura :Se tivermos em conta apenas os primeiros 80 minutos, o destaque tem de ir para Rafa. O 27 das águias foi o grande desequilibrador da equipa portuguesa e, mesmo decidindo mal na finalização de alguns lances, foi graças a ele que o Benfica criou metade das situações de perigo que teve. No entanto, como o jogo é de 90 minutos e nos últimos 10 a formação orientada por Jorge Jesus 'adormeceu', Odysseas Vlachodimos tem de ser considerado o homem do encontro. Depois de ter feito uma defesa soberba na 1.ª parte, o grego segurou o empate do Benfica em Kiev com duas grandes defesas na compensação. Um verdadeiro anjo da guarda para as águias na Ucrânia.

Surpresa : Longe de ser uma surpresa, mas há que sublinhar a exibição da dupla Julian Weigl-João Mário. São dois jogadores que funcionam como verdadeiros pêndulos no onze do Benfica. A ausência de ambos é demasiado notória, uma vez que o tempo com bola por parte da equipa encarnada decresce de forma exponencial.

Desilusão : Quantos jogos a titular precisa Everton para convencer? Chegou e gerou muita expectativa nos adeptos do Benfica, mas a verdade é que passado uma época continua sem apresentar os créditos de um habitual internacional brasileiro. Espera-se magia, esperam-se desequilíbrios, espera-se que seja uma das figuras da equipa. Esta terça-feira voltou a fazer um jogo de baixo nível. Até quando irá merecer a confiança de Jorge Jesus?

Mircea Lucescu : Na primeira parte viu a sua equipa ser engolida no que diz respeito à posse de bola no encontro. O ADN dominador do Dínamo raramente esteve presente, embora a equipa ucraniana fosse melhorando no decorrer da 2.ª parte. Apostou num futebol mais direto e, se num primeiro momento não parecia dar frutos, no final mostrou que podia ter levado de vencida este jogo.

Jorge Jesus : Preparou bem o encontro e a estratégia da 1.ª parte foi a necessária. O Benfica esteve bem com e sem bola, e dominou por completo o Dínamo Kiev no seu reduto. Contudo, aos 60 minutos lançou Darwin, Lazaro e Radonjic e 'partiu' a equipa por completo. Se o objetivo era melhorar, o tiro saiu pela culatra ao treinador das águias, que complicou e muito a vida à sua formação.

Árbitro, Anthony Taylor: Enganou-se e expulsou Garmash por acumulação de amarelos. Só depois viu que o jogador do Dínamo não tinha qualquer amarelo e retificou a decisão. Um erro sem consequências, mas deveria sim ter expulsado Verbic depois da sua entrada sobre Rafa. De resto, nada mais a assinalar.


 

Post Top Ad

Blossom Themes