Últimas

13/09/2021

Arbitragem do Clássico gera revolta junto da direção do Sporting

Leões questionam o critério disciplinar de Nuno Almeida, a falta de ação do VAR e até o tempo de compensação.


Sporting e FC Porto encerraram a quinta jornada do campeonato português a quatro pontos do líder, o Benfica, fruto do empate a uma bola registado no tão aguardado Clássico, cuja arbitragem provocou um clima de revolta junto dos responsáveis leoninos.

O jornal Record escreve, esta segunda-feira, que a direção liderada por Frederico Varandas terá ficado revoltada com o critério disciplinar aplicado por Nuno Almeida, com a falta de ação do VAR, João Pinheiro, e até mesmo pelo escasso tempo de compensação.

Na mira dos campeões nacionais em título estão, em particular, dois lances envolvendo Sebastián Coates. O primeiro ocorreu aos 32 minutos, quando o central caiu na grande área e se queixou de agressão de Pepe, e o segundo aos 48, quando foi empurrado por Mehdi Taremi.

O Sporting entende que, especialmente no primeiro caso, deveria ter sido assinalada grande penalidade e exibido o cartão vermelho ao internacional português, até porque, num lance semelhante junto à linha lateral, Jovane Cabral viu o amarelo por falta sobre Otávio.

 

Post Top Ad

Blossom Themes