Últimas

20/06/2021

Sporting derrota FC Porto e sagra-se campeão nacional de hóquei em patins

Leões venceram no quarto jogo da final por 6-5

O Sporting é o novo campeão nacional de hóquei em patins após vencer o FC Porto, por 6-5, no jogo 4 da final do playoff do campeonato nacional. Num encontro repleto de reviravoltas no marcador e onde a distância entre as duas equipas não passou de um golo, os dragões até saíram a vencer para o intervalo (4-3). 

Numa partida de emoções fortes do inicio ao fim, Gonçalo Alves teve nas mãos uma oportunidade para empatar a partida e levar o jogo para prolongamento mas permitiu a defesa de Angelo Girão, que fez defesas de alto nível ao longo dos 50 minutos.

O FC porto começou por estar a vencer por 2-1, permitiu a reviravolta ao Sporting e ainda conseguiu sair para o descanso em vantagem (4-3). No segundo tempo, os dragões voltaram mais fortes e pressionantes mas não conseguiram dilatar a vantagem, tendo sido Ferran Font a decidir a partida na conversão de um penálti a quatro minutos do final da partida.
 

Guillem Cabestany: «O desporto não é justo, não premeia o trabalho mas sim os resultados»

"Em primeiro, dar os parabéns ao Sporting por ser o campeão. Quanto ao jogo, uma vez mais não tenho nada a apontar à equipa, cometemos erros na transição defensiva, era algo que estávamos a controlar bem e, nos últimos jogos, deixámos de fazer. Eles aproveitaram e fizeram aí a diferença. Foi uma despedida inglória por esta época", começou por dizer Guillem Cabestany após o final da partida, aos meios do FC Porto. 

"Neste ciclo de seis anos, este grupo desta época foi a equipa que melhor trabalhou, cresceu imenso e todos e cada um dos jogadores puxaram sempre para o mesmo lado, foi uma equipa espetacular que tive o prazer de treinar e, por isso, olhando mais atrás nesta época, é muito injusto para eles, mas o desporto não é justo, não premeia o trabalho, mas sim os resultados e temos de aceitar isso. Esta derrota fecha um ciclo de seis anos em que tive o prazer de desfrutar de trabalhar num clube tão grande como o FC Porto e, amanhã, quando acordar, terei acabado esta etapa e vou voltar à realidade do hóquei, saindo de um clube enorme, que nos dá todas as facilidades para poder trabalhar da melhor maneira. Gostava que este ciclo acabasse com um título, este grupo merecia", finalizou. 



Paulo Freitas: «Fizemos história para o clube e no hóquei com os dois títulos que conquistamos»

"Digo aos jogadores que o olhar tem de ser demonstrativo do que queremos. Se reparaste nisso é porque os jogadores cumpriram. Estão de parabéns. Foi uma época fantástica, sublime. Fizemos história para o clube e no hóquei com os dois títulos que conquistamos. Foram duas vitórias fora contra um adversário de enorme respeito e valia. Sou um homem feliz."

"Quero dedicar este título aos sportinguistas e a uma pessoas importante na minha vida: a minha mãe, a minha rainha. É importante para ele porque eu sei que ele sofre muito com o que se passa comigo e nos jogos. Imagino o que sofreu hoje. Digo-lhe para ficar tanquila. Isto também é para ela. Espero que esteja feliz, que eu também estou."

"Duas vitórias consecutivas aqui, acentuam o que é o carácter, comprimiso e qualidade do grupo. Os jogadores e todo o staff, que trabalha diariamente e afincadamente para que nada falte aos jogadores e consigamos conquistar títulos e sair daqui com esta felicidade enorme."

"A mentalidade que entramos aqui hoje mostra que queríamos resolver isto hoje. O que é facto é que a equipa entrou determinada e sem estar na zona de conforto, pela possibilidade de termos o quinto jogo. Era dia de sermos felizes e felzimente tudo correu pelo melhor."

A comparação com Nuno Dias, treinador de futsal

"São prémios individuais e isso não me preocupa. Preocupa-me o coletivo e conseguimos o que conseguimos: colocar o Sporting no mapa mundial do hóquei.  Recentemente saiu esse ranking e a nossa equipa está no 1.º lugar do ranking mundial e isos é uma satisfação enorme e sinal do bom trabalho que estamos a fazer. Sabemos que precisamos claramente de melhorar, mas acima de tudo estamos muito sstisfeitos."

"Quanto ao Nuno Dias posso dizer que falei com ele antes do jogo e estou certo de que está numa felicidade enorme, não tenho dúvidas, tal como eu fico quando ele conquista os seus objetivos. A única mensagem que tenho para ele é que ganhe vergonha e pague um bom jantar", atirou, entre risos. 

Gonzalo Romero: «Não tenho palavras para descrever o momento»

"É uma satisfação enorme, não tenho palavras para descrever o momento. Foi uma semana muito dfícil. Eu tive um problema familiar, uma adversidade...", disse Gonzalo Romero, que se mostrou muito emocionado aquando destas declarações à 'SportingTV'.

Ângelo Girão: «Na adversidade não viramos a cara à luta»

"Penso que não merecíamos o penálti a acabar e muitas coisas durante o jogo, mas fizemos uma grande jogo e uma grande época. Não somos os melhores do mundo agora por ganharmos, assim como não eramos os piores quando perdemos. Felizmente o nosso campeonato é o melhor do mundo neste momento, é extremamente competitivo e tem dos melhores executantes."

"Não vamos conseguir ganhar sempre, mas o que podem contar é na adversidade não virarmos a cara à luta. Isto é o desporto. Estou muito feliz por conseguirmos esta dobradinha [campeonato e Liga Europeia]. Infelizmente perdemos a Taça 1947 nos penaltis. Podem contar connosco para honrar a camisola, na vitória e derrota, não honramos só quando ganhamos. Contem connosco sempre."

"As famílias têm altos e baixos, também discutem, e nós somos dessas famílias. Antes da Liga Europeia o treino nem acabou, porque deu chatice, mas uma família que quer ganhar é assim: luta, trabalha, discute e nós queremos muito. Na vitoria e na derrota estamos sempre juntos."

"Nós tentamos bloquear o que é dito fora do balneário. Jogámos contra uma das melhores equipas do mundo, que tem um dos melhores treinadores do mundo. Obrigou-nos a ver muitas horas de hóquei e isso é bom para nós. A competitividade é assim. Vendeu-nos cara a derrota e nós com as nossas armas viemos cá para ganhar."

Toni Pérez: «Ganhámos duas vezes seguidas aqui no Dragão. É histórico»

"Ganhar é sempre especial com este grupo, que está desde 1 de agosto junto. Estamos fartos de trabalhar e querer ganhar títulos. Não ganhávamos aqui [no Dragão] há quase 30 anos e ganhamos duas vezes seguidas aqui. É histórico para o hóquei. Tínhamos muita vontade de ganhar por tudo. É uma satisfação enorme. Merecemos", começou por dizer em declarações à 'SportingTv'.

"Há sempre vontade de vencer. Trabalhamos todos os dias para isso mesmo. Representamos o Sporting e só queremos ganhar e festejar. Agora vamos até Lisboa para festejar junto da família e dos nossos adeptos."

"O ano passado tivemos de parar em março [por causa da pandemia] e agora voltar, começar em agosto e ir até agora, é quase um ano. Este resultado tira tudo isso [cansaço]", finalizou.

 

 

 

Post Top Ad

Blossom Themes