Últimas

23/06/2021

Portugal 2-2 França: Jogo de nervos garante 'oitavos' e encontro com a Bélgica em Sevilha

Cristiano Ronaldo bisou e igualou Ali Daei como melhor marcador de sempre de seleções, com 109 golos.

Fernando Santos fez duas alterações na equipa, ambas no meio-campo: saíram William Carvalho e Bruno Fernandes, entrando para os seus lugares João Moutinho e Renato Sanches. Bernardo Silva manteve-se no onze, no apoio a Diogo Jota e Cristiano Ronaldo no ataque. Do lado da França, Koundé, Hernández e Tolisso foram lançados no onze por troca com Pavard, Digne e Rabiot.

Portugal entrou com o domínio da posse de bola e, aos seis minutos, Ronaldo elevou-se entre os centrais, após cruzamento de Renato Sanches, mas o cabeceamento saiu fraco para as mãos de Lloris.

A França tentava explorar as costas da defesa com a profundidade. Foi assim que aos 16' Mbappé fugiu a Nélson Semedo e ficou na cara de Rui Patrício, mas o guarda-redes português respondeu com uma bela intervenção. Por esta altura, a Hungria vencia com surpresa em Munique, o que pareceu ter deixado os gauleses mais relaxados - com este cenário ficariam em 1.º lugar.

Após um livre lateral aos 28', Danilo Pereira (foi substituído por Palhinha ao intervalo) chegou primeiro à bola e acabou por ser atingido por Lloris, com o árbitro a não ter dúvidas: grande penalidade para Portugal. Chamado à conversão, Ronaldo não vacilou e chegou ao 108.º golo pela seleção portuguesa.

Já perto do intervalo, Mbappé entrou na área e caiu após um choque com Nélson Semedo. Antonio Mateu Lahoz apontou para a marca dos onze metros - confirmado pelo VAR - e Karim Benzema restabeleceu a igualdade no marcador.

O avançado do Real Madrid, que não marcava pela França desde 2015, voltou a fazer o gosto ao pé a abrir a segunda parte. Aos 48 minutos, Pogba serviu Benzema que surgiu entre Rúben Dias e Pepe, entrou na área e disparou com a bola a bater no poste e a entrar na baliza de Rui Patrício. O árbitro ainda esperou pela decisão do VAR, mas acabou por confirmar o golo.

Aos 59 minutos, o terceiro penálti no jogo. Koundé desviou desviou com o braço o cruzamento de Ronaldo e o avançado português assinou o 2-2, igualando Ali Daei como melhor marcador de sempre de seleções, com 109 golos.

Mesmo em primeiro neste cenário, a França continuou à procura da vantagem e aos 68' Rui Patrício ganhou asas para defender o remate de Pogba, com Griezmann, na recarga, a obrigar o guardião do Wolverhampton a outra grande intervenção.

Fernando Santos ainda lançou Bruno Fernandes, Rúben Neves e Diogo Dalot (estreia absoluta na Seleção A), mas o marcador não voltou a sofrer alterações. Portugal está nos oitavos de final e vai agora defrontar a Bélgica em Sevilha.

 

 

 


 

Post Top Ad

Blossom Themes