Últimas

06/06/2021

Alemanha-Portugal: O 'ADN' alemão visto por quem treina em solo 'inimigo'


 

A análise à final do Euro de sub-21 com o treinador luso-alemão do Bayer Leverkusen, Miguel Moreira. 

A seleção nacional de sub-21 procura, neste domingo, sagrar-se campeã da Europa pela primeira vez, após duas finais perdidas - em 1994 e 2015 -, e para isso terá de derrotar a Alemanha. Para nos ajudar a decifrar um pouco mais das qualidades do nosso rival, Miguel Moreira, treinador adjunto do Leverkusen, e que conhece bem alguns dos grandes valores do conjunto germânico.

“Há um jogador que bisou agora nas meias-finais, diante dos Países Baixos, e que tive a oportunidade de o orientar nos últimos oito jogos do campeonato alemão, o Florian Wirtz, e que se trata de um jogador fantástico", começou por dizer o técnico luso-alemão, sublinhando que esta Alemanha não é só um poço de talento, como de experiência acumulada nos mais altas panoramas do Velho Continente.

"Quase todos os jogadores atuam na Bundesliga ou em grandes Ligas europeias, ou seja já apresentam um nível bastante alto e uma experiência acima da média para este escalão. E pelas conversas que fui mantendo com alguns dirigentes da federação alemã já se sente aquele espírito de que ‘somos imbatíveis e ninguém nos vence’. Uma equipa que pela terceira vez consecutiva vai à final da categoria. Apesar de ter sido um inglês que o disse (Gary Lineker) acho que as diferentes seleções da Alemanha continuam a transportar o lema de que numa final são ‘11 contra 11 e no fim ganha sempre a Alemanha’", complementou Miguel Moreira, fazendo posteriormente um raio-X mais detalhado ao conjunto orientado por Stefan Kuntz.

"O ponto mais forte desta seleção é o coletivo. Agora também destaco algumas figuras, como o Florian Witz, que é titularíssimo no Leverkusen, ou o Lukas Nmecha que, no Anderlecht, tem facturado quase todos os fins de semana. A nível ofensivo há muita qualidade, e no setor recuado reina um estilo mais pragmático, com centrais altos e fortes, como por exemplo o Amos Pieper, com quem trabalhei muitos anos no Dortmund, e é bastante inteligente a nível táctico. Talvez lhe falte um pouco de velocidade, mas é muito forte no um contra um, à semelhança dos restantes defesas. Falamos de uma seleção muito completa", asseverou o treinador de 37 anos, apontando o caminho para os segredos de um triunfo luso na final de hoje em solo esloveno.

“Portugal terá de explorar a profundidade nas costas da defesa alemã para aproveitar a menor velocidade da congénere germânica no setor mais recuado”", acrescentou Miguel Moreira, que dá conta ainda que se trata de uma final sem favoritos.

“A Alemanha é sempre uma equipa candidata ao título e sabe o que tem de fazer para ganhar o Europeu. Falamos de uma seleção que é orientada por um treinador que já venceu o Europeu com a seleção principal e que como técnico, nos sub-21, também foi já campeão europeu. Portugal tem também todas as condições para ser campeão, por isso prevejo uma final que vai ser decidida nos detalhes e que até possa ficar resolvida através de uma bola parada. Para mim não há favoritos, ainda para mais numa final como esta", rematou.

 

Post Top Ad

Blossom Themes