Últimas

24/05/2021

Sufoco minhoto confirmou 'flop' encarnado: As notas do Sp. Braga-Benfica


Arsenalistas festejaram o centenário com a conquista da terceira Taça de Portugal. Já os encarnados, encerram aquela que foi uma das temporadas de maior investimento da história do futebol nacional sem um único título.

No ano em que celebra 100 anos de história, o Sporting de Braga vê-se 'obrigado' a arranjar espaço no museu para guardar a terceira Taça de Portugal, conquistada graças ao triunfo assegurado este domingo, no Estádio Cidade de Coimbra, sobre o Benfica, por 2-0.

O clube da Luz, por sua vez, vê completamente defraudadas as expetativas criadas no seguimento daquele que foi um dos maiores investimentos de que há memória no futebol português (foram cerca de 100 milhões de euros só em jogadores), e termina a temporada sem um único troféu.

Lisboetas e minhotos protagonizaram um início de jogo animado, ainda que mais disputado do que bem jogado, com maior pendor ofensivo para os primeiros do que para os segundos, mas tudo mudou de figura quando, logo aos 16 minutos, Helton Leite recebeu ordem de expulsão.

O guarda-redes derrubou Abel Ruiz à entrada da grande área, e, apesar dos protestos encarnados, a verdade é que Nuno Almeida lhe exibiu mesmo o cartão vermelho direto, dando início a um jogo que contou com um domínio quase total dos arsenalistas.

A única exceção foi mesmo o final da primeira parte. Haris Seferovic e Julian Weigl falharam por pouco o golo, e, na resposta, Lucas Piazón aproveitou uma falha de comunicação da defesa adversária para fazer uma 'chapelada' a Odysseas Vlachodimos e desfazer o nulo.

Já no segundo tempo, só deu Sporting de Braga. A equipa de Carlos Carvalhal teve oportunidades de sobra para marcar, mas só o fez por uma única vez, quando, à beira do apito final, Ricardo Horta 'disparou' para o fundo das redes e selou o resultado, em Coimbra.

Tudo isto teria sido mais do que suficiente para perfazer um belo espetáculo de futebol, mas Adel Taarabt, Lucas Piazón e Eduardo fizeram questão de o manchar quando, já nos descontos, se 'pegaram' e receberam todos eles ordem de expulsão.

Figura

Abel Ruiz esteve na origem de dois dos três lances capitais deste jogo: conquistou a falta que resultou na expulsão de Helton Leite e assistiu Ricardo Horta para o golo que selou o resultado final. Pecou apenas na finalização, caso contrário o resultado teria sido bem mais desnivelado.

Surpresa

Lucas Piazón está longe de ser uma figura fundamental nos planos de Carlos Carvalhal, mas acabou por merecer a confiança na final da Taça de Portugal, e correspondeu com o (grande) golo que quebrou o nulo. Uma exibição, no entanto, manchada pela expulsão na reta final.

Desilusão

Exibição muito fraca de Adel Taarabt, que pouco ou nada conseguiu acrescentar à manobra atacante do Benfica. Como se não bastasse, ainda esteve na origem das cenas lamentáveis que se registaram nos descontos, quando perdeu a cabeça e derrubou Lucas Piazón, antes de se 'pegar' com Eduardo.

Treinadores

Jorge Jesus: Quando se gastam 100 milhões de euros numa só temporada, exige-se muito mais do que aquilo que o Benfica apresentou em Coimbra. Uma exibição fraca antes da expulsão de Helton Leite, e caótica depois dela, com a exceção de alguns rasgos individuais.

Carlos Carvalhal: O Sporting de Braga esteve longe de encantar, mas fez mais do que suficiente para bater o Benfica. Não fosse o tamanho desacerto, especialmente, de Abel Ruiz e Galeno, os arsenalistas podiam ter 'matado' o jogo bem mais cedo. Uma vitória justíssima.

Árbitro

Uma noite nada fácil para Nuno Almeida, que começou logo aos 16 minutos, quando expulsou Helton Leite por falta sobre Abel Ruiz. O contacto é discutível, assim como o facto de este se dirigir ou não na direção da baliza. O critério disciplinar foi, de resto, uma constante incógnita durante os 90 minutos.

 

 

Post Top Ad

Blossom Themes