Últimas

15/05/2021

Hóquei em patins: Benfica e Sporting tiram teimas no melhor momento de forma

O Benfica-Sporting disputa-se às 21:00 de sábado, enquanto o FC Porto-Oliveirense joga-se às 17:00, no Pavilhão Municipal do Luso, na Mealhada.

Sporting e Benfica disputam no sábado a meia-final da Liga Europeia de hóquei em patins, num duelo que opõe os ‘leões’, campeões em título, às ‘águias’ que venceram um troféu ao eterno rival esta temporada, a Taça 1947.

Em declarações à Lusa, os dois treinadores apostam num encontro “tremendamente complicado”, marcado pela “igualdade” entre as equipas que chegam a este momento de decisão na melhor fase da época: o Sporting não perde há 16 jogos e o Benfica eliminou a Oliveirense e venceu o primeiro jogo no terreno do FC Porto no ‘play-off’ do Campeonato Nacional, quebrando a série de 25 jogos sem derrotas dos ‘dragões’.

A nível de confrontos diretos, houve empate no terreno das ‘águias’ (1-1), vitória ‘encarnada’ no Pavilhão João Rocha (5-4) e novo empate no final da Taça 1947 (3-3), com o Benfica a vencer o desempate por grandes penalidades (3-2), mas o técnico encarnado, Alejandro Domínguez, garantiu que esses triunfos “não dão vantagem” e que “não há favorito” no duelo de sábado.

“O denominador comum em todos os jogos tem sido a igualdade. Vai ser um jogo em que os pequenos detalhes, tanto no modelo defensivo, como no ofensivo, vão fazer a diferença e as bolas paradas vão ser muito importantes. No Campeonato Nacional, eles foram mais regulares e nós fomos muito bons nos confrontos diretos com os grandes. É por isso que não termos perdido com eles até agora, o que não quer dizer que seja uma vantagem”, vincou o técnico argentino.

Para chegar à ‘final four’, o Benfica qualificou-se no ‘grupo da morte’ e foi a única equipa da fase de grupos que somou seis pontos (duas vitórias), vencendo o Liceo da Corunha (7-2) e o FC Barcelona (6-2), algo que gerou “confiança” no balneário benfiquista, embora Domínguez prefira apelar à prudência.

“Quando estamos concentrados e focados é muito difícil ganhar a esta equipa. Claro que nos trouxe confiança, mas não temos que cair em excessos de confiança, porque estas equipas não perdoam. A este nível, qualquer excesso de confiança ou erro condenam-te, por isso é preciso ser prudente”, apontou.

Por seu lado, o treinador sportinguista, Paulo Freitas, recordou a “série interessante de jogos sem derrotas” num campeonato “tão competitivo” como o português e garantiu uma formação “ambiciosa e corajosa” para fazer história e tornar-se no primeiro emblema português a vencer a Liga Europeia de forma consecutiva.

Porém, sublinhou que o foco principal “é o jogo da meia-final” contra os rivais lisboetas, antevendo um “jogo muito duro”, mas referindo que não ter vencido o Benfica esta temporada “em nada interfere com as ambições e o método de trabalho” da sua equipa, que chega a esta fase depois de vencer os espanhóis do Réus (5-3) e empatar com a Oliveirense (6-6), resultado que apurou as duas formações.

“Costumamos dizer que não ficamos agarrados às vitórias, portanto também não temos como ficar agarrados aos insucessos. Respeitamos o que está para trás, mas esta é uma equipa que vive intensamente o presente e perspetiva o futuro. E o presente imediato é este: a oportunidade que temos de inverter o ciclo desta época e ganhar ao Benfica”, indicou.

No entanto, elogiou a “equipa muito forte” das 'águias', que fez uma “fase de grupos muito boa” e que chega a este momento “com o copo mais cheio”, depois de vencer o FC Porto no último jogo, mas reforçou a opinião de que “vai ser [um jogo] duro para as duas equipas, em que a que errar menos vai estar presente na final”.

“Vemos tudo isto pela forma das oportunidades, nunca encaramos como dificuldades. Temos a oportunidade de inverter um ciclo menos positivo com o Benfica, de defrontar o nosso grande rival numa meia-final da Liga Europeia, de estar presente na final e, depois disso, a oportunidade de repetir o triunfo de 2019. É evidente que temos noção dessa oportunidade e de forma sustentada, passo a passo, vamos atrás da nossa oportunidade no sábado e depois pensamos no domingo”, sublinhou, num comentário à possível conquista consecutiva do troféu.

A outra meia-final opõe Oliveirense ao FC Porto, numa inédita ‘final four’ entre quatro formações portuguesas, algo que orgulha os dois técnicos e que levou Alejandro Domínguez a classificar o campeonato português como, “sem dúvida, o melhor do mundo”, enquanto Paulo Freitas expressou “gratificação e satisfação enorme” enquanto português por ver quatro equipas lusas a lutar pela “melhor competição de hóquei em patins da Europa e do mundo”.

O Benfica-Sporting disputa-se às 21:00 de sábado, enquanto o FC Porto-Oliveirense joga-se às 17:00, no Pavilhão Municipal do Luso, na Mealhada.

 

 

 

 

Post Top Ad

Blossom Themes