Últimas

06/03/2021

SC Tomar perde com Barcelos a dois segundos do apito final

O Sporting de Tomar perdeu hoje em casa com o OC Barcelos por 3-4, com o último golo a ser marcado a poucos segundos do fim da partida.

Fotografia: Afonso Ferraz / MPx Sports
 
Na recepção ao Óquei de Barcelos, o Tomar mostrou o porquê de estar no sexto lugar, deixando promessa de "dores de cabeça" ao candidato que lhe possa vir a calhar nos quartos-de-final do playoff.

Os tomarenses estiveram na frente do marcador por três vezes. Pedro Martins adiantou o Tomar aos seis minutos, em powerplay depois de azul a Miguel Rocha (Lucas Honório falhara o respectivo livre directo), mas o próprio Miguel Rocha anulou esta primeira vantagem.

Os barcelenses criavam mais perigo, mas seria o Tomar a adiantar-se novamente, aos 15 minutos, por Rúben Sousa. A dois minutos do intervalo, Rafa Lourenço faria o 2-2, dando justiça ao marcador numa primeira parte em que Dario Giménez (livre directo) e Joca (grande penalidade) não conseguiram bater Francisco Veludo de bola parada.

Na etapa complementar, Veludo voltou a negar o golo num livre directo - por Reinaldo Ventura, na 10ª falta tomarense - e a equipa de Nuno Lopes cresceu. E transfigurou-se do habitual Tomar que joga pelo seguro e faz da solidez defensiva a sua principal arma.

Os tomarenses foram mais ofensivos, criaram mais oportunidades - algumas na rebeldia de Lucas Honório, que entrou muito bem - e o 3-2, de grande penalidade, por Filipe Almeida, seria um justo prémio para a atitude positiva dos anfitriões. "Joka", no lugar do habitual titular "Conti" (lesionado), evitaria males maiores.

O Tomar não marcou mais e sofreu. A 12 minutos do final, num lance em que Ivo Silva reclamou grande penalidade (até o banco barcelense reclamou por achar que o árbitro Paulo Almeida tinha apontado para a grande penalidade), foi assinalada simulação e dada uma segunda advertência (e azul), que levou novamente Dario Giménez para a marca de livre directo. Desta vez, o argentino ganhou o duelo e fez o 3-3.

Dario Gimenez bisou de livre directo para a reviravolta no final.
Ainda assim, o Tomar continuou em busca da vitória, mas "perdeu-se" nas decisões arbitrais. Primeiro, quando Reinaldo Ventura escorregou na linha do meio campo, como último homem, afastando a bola no solo (pediu-se livre directo, mas terá sido aplicada "lei da vantagem" quando a bola até fugiu para a tabela de fundo), e depois quando foi assinalada simulação a Filipe Almeida nos segundos finais de jogo.

Foi a 15ª falta, livre directo para o Barcelos e o 3-4 por Dario Giménez numa execução feliz.

Post Top Ad

Blossom Themes