Últimas

14/03/2021

Portugal sofre com segunda derrota no apuramento para o Mundial

 


Portugal perdeu, no CAR do Centro Desportivo Nacional do Jamor e a contar para a 2ª jornada do Rugby Europe Championship 2021, com a Roménia por 28-27.


Num jogo em que se mostrou como vencedor durante praticamente todo o jogo - passou para a frente do marcador (7-3) aos 10’ de jogo e só foi ultrapassado no último minuto quando os romenos, a perderem por 27-21 e imediatamente a seguir ao 3º cartão amarelo recebido pelos portugueses, marcaram um ensaio transformado que levou ao resultado final.

 

Se, ao intervalo, os seis pontos favoráveis de diferença não se mostravam um resultado suficientemente seguro para uma segunda-parte contra o vento, os 27-14 à entrada dos últimos 10’ davam algumas garantias de sucesso. A vitória estava ali, cada vez mais perto, mas — numa pura desilusão — num ápice, transformou-se num ponto de bónus defensivo.

 

O jogo começou a mostrar que as fragilidades demonstradas contra a Geórgia tiveram trabalho de correcção a começar pela formação-ordenada que, com o excelente trabalho de Francisco Fernandes, se mostrou capaz de equilibrar com o adversário — das 9 formações nenhuma foi perdida e podia dizer-se que, com a melhoria da formação-ordenada todas as situações de combate melhoraram. E durante os momentos finais da primeira-parte a defesa portuguesa, praticamente em cima da sua linha-de-ensaio mostrou-se à altura e não deixou os seus créditos por mãos alheias.

 

Jogando em inferioridade numérica com 14 — amarelo a Rebelo de Andrade aos 3’ — Portugal, em vez de sofrer os pontos que as estatísticas demonstram para estas situações, marcou um ensaio por Danny Antunes que Samuel Marques transformou para, um pouco à frente, marcar uma penalidade a colocar o marcador nuns 10-3 que abriam boas perspectivas para um resultado final positivo. Embora não conseguindo tirar proveito da sua superioridade numérica por amarelo romeno, quando voltou a igualdade numérica, Portela marcou um ensaio no meio dos postes, a rematar um excelente movimento de variações fora-dentro e que Samuel Marques voltou a transformar, colocando o resultado nos 17-9 do intervalo. Não sem que Mike Tadjer visse ainda um amarelo que teria o seu custo na 2ª parte com um ensaio, em período de inferioridade, num penalti-touche.

 

No entanto, a perspectiva optimista de um resultado favorável mantinha-se e fazia todo o sentido. A partir da fronteira dos 60’ Portugal mostrou, ao contrário do que se podia temer, dominar o jogo e com uma nova penalidade transformada por Samuel Marques que ainda juntou a transformação do ensaio de Raffaele Storti estabelecia-se uma diferença favorável de 13 pontos aos 70’. Tudo parecia correr pelo melhor — as estatísticas do jogo eram-nos favoráveis: 52% de posse de bola, maior número de quebras de defesa, mais placagens com menos falhadas (131/5), mais rucks ganhos (60/58) — e a vitória, a dois passos, parecia garantida. No entanto... e sem que o desenrolar do jogo o fizesse prever, dois ensaios romenos vieram estragar o optimismo.

 

A partir dos 70’ a selecção portuguesa perdeu consistência, a formação-ordenada, começou a ser dominada, a desfocagem permitiu o domínio da indisciplina e um pontapé de alívio sem nexo abriu o caminho para um ensaio que, dando novas esperanças aos romenos, colocou os portugueses sobre brasas. Passavam 74’ e Portugal vencia por 6 pontos de diferença... mas a perda de dois alinhamentos — esta foi a área onde os portugueses tiveram maiores problemas com a perda de 5 introduções favoráveis — na área de 22 adversária e com o último a terminar com a 14ª penalidade cometida que permitiu colocar o jogo no meio-campo português para um terceiro amarelo e uma última penalidade — a 15ª — de que resultaria um novo penalti-touche que permitiria a vitória à Roménia.

 

Alinharam e marcaram por Portugal:

1. Francisco Fernandes (18.Geoffrey Moise), 2. Mike Tadjer (17.Duarte Diniz), 3. Anthony Alves (16.David Costa); 4. Rafael Simões (19.Eric dos Santos, A), 5. José Rebelo de Andrade, A; 6. João Granate, 7. José Madeira, 8. Manuel Picão; 9. Samuel Marques (3T,2P), 10. Jerónimo Portela (E), (22.Jorge Abecassis); 11. Rodrigo Marta, 12. Tomas Appleton, cap, 13. José Lima, 14. Rafaele Storti (E), 15. Danny Antunes (E), (23.Nuno Sousa Guedes).

Estavam ainda convocados mas não entraram em jogo: Francisco Sousa e Théo Entraygues.

Com esta derrota Portugal perdeu 1,06 pontos de ranking da World Rugby, descendo assim 3 posições ao ser ultrapassado por Hong-Kong, Canadá e Namíbia, ocupando agora o 24º lugar com 60,88 pontos.

Post Top Ad

Blossom Themes