Últimas

16/03/2021

MotoGP: Dúvidas com pneus Michelin resolvidas

Mesmo que as variações de temperatura do circuito de Losail sejam agora bem conhecidas dos técnicos da Michelin, a pista do Qatar ainda pode causar surpresas, devido à humidade à noite, chuva como em 2009, ou areia como vimos na passada sexta-feira no último dia de testes de MotoGP.

Para fazer face a esta vasta gama de situações, o fabricante francês apostou este ano numa nova alocação que será usada tanto para os testes como para os dois fins de semana de corrida.

Na frente, a mistura é composta por um pneu macio, um meio assimétrico mais duro à direita, e um pneu duro.


Na parte de trás, podemos contar com um macio, que é, de facto, o médio do ano passado.

Este pneu é popular com todos os pilotos porque oferece melhor aderência e dá tem muito tempo em pista antes de se degradar.

Esta será certamente a escolha maioritária das equipas, mesmo que a marca do Bibendum também tenha um médio assimétrico que pode ser usado (grosso modo, o duro de 2020) e um médio mais duro para altas temperaturas.

Para já, todos estão muito satisfeitos, mesmo que alguns, como Maverick Viñales, se interroguem sobre o que realmente acontecerá durante os fins de semana de corrida, quando o Moto2 e o Moto3 depositaram borracha Dunlop no asfalto: sem dúvida, há o espectro de uma aderência degradada a considerar…

Piero Taramasso, Manager da Michelin Motorsport, explica:

“Nos últimos dias, os pilotos têm estado muito ocupados com os pneus dianteiros e traseiros, e vimos o Jack Miller bater o recorde do circuito e Zarco também quebrou o recorde de velocidade, o que significa que a aderência dos pneus era boa. Os pilotos gostaram muito das especificações dos macios na frente e dos traseiros. Funcionaram muito bem: a aderência é boa, assim como a estabilidade.

As equipas e os pilotos também trabalharam bem, uma vez que o desgaste continua elevado, mas aceitável. Teremos de ver o que acontece durante o fim de semana de corrida em termos de temperaturas de pista e areia, mas de qualquer forma ainda temos as especificações médias e duras à escolha. O médio tem menos aderência, mas a estabilidade é um pouco melhor, assim como a consistência.

A solução dura só será utilizada no TL1 e TL3 se a temperatura da pista subir para 45 ou 50 graus. Em todo o caso, este teste foi positivo e, mais uma vez, as equipas e os pilotos trabalharam muito bem nas motos. A sensação é boa e já vimos muitas marcas ser competitivas, por isso tenho a certeza que vamos ter uma grande corrida aqui no Qatar.”

Post Top Ad

Blossom Themes