Últimas

29/01/2021

Rali Dakar: detalhes da vitória de Kevin Benavides

 


Com Ruben Faria e Hélder Rodrigues aos comandos dos destinos da Monster Energy Honda Rally Team, a marca japonesa celebrou em 2021 a segunda vitória consecutiva no prestigiado Rali Dakar. A prova saudita foi conquistada pelo argentino Kevin Benavides, e agora a equipa conta-nos os detalhes que permitiram vencer. 

A vitória da Monster Energy Honda Rally Team na 43ª edição do Rali Dakar foi mais um momento alto na longa história da marca japonesa no mundo da competição em duas rodas. A segunda vitória consecutiva no Dakar, depois da obtida por Ricky Brabec em 2020, foi conseguida por Kevin Benavides, com o anterior vencedor Brabec a secundar o seu companheiro de equipa no pódio final em Jeddah numa dobradinha histórica.

A formação de fábrica da Honda conta com uma equipa experiente, onde se destacam as presenças de Ruben Faria, como diretor geral da equipa, mas também de outro português, Hélder Rodrigues, este com funções de estratega que define o melhor plano de ataque tendo em vista o resultado final.

Mas o sucesso dos dois portugueses, que inevitavelmente levou ao sucesso de Kevin Benavides e Ricky Brabec, é fruto de todo um conjunto de fatores que permitem à Monster Energy Honda Rally Team superiorizar-se a rivais de peso como a KTM, Yamaha, Husqvarna, Hero Motorsports entre outros fabricantes que têm no Rali Dakar a sua oportunidade de brilhar.


Agora que as emoções do Dakar acalmaram um pouco, Taichi Honda, diretor de operações de Offroad da Honda Racing Corporation, conta-nos os detalhes que levaram a mais um resultado fantástico para o gigante japonês.

“Para se destacar numa prova tão extrema e exigente como é o Rali Dakar, é preciso experiência e conhecimento técnico que não podem ser comprados. É preciso ganhar na pista”, explicou Honda-san em Jeddah.

“A prova é só uma vez por ano, então só temos uma hipótese de fazer as coisas bem feitas. Temporada após temporada, recolhemos dados de diferentes tipos de terreno e das situações de corrida mais imprevisíveis. Houve alguns anos em que os pilotos deram tudo o que tinham, mas por um motivo ou por outro, a moto não estava a 100% ou a equipa não rendeu tudo o que podia. Noutras edições, foi o contrário. Finalmente, no ano passado todo o conjunto, moto, equipa e piloto estiveram a 100% e por isso ganhamos. O objetivo para o Dakar de 2021 era repetir este feito, porque ganhar uma vez é ótimo, mas se vencermos duas vezes, aí é que realmente podemos dizer que temos um trio vencedor”.




Post Top Ad

Blossom Themes